10 passos essenciais para criar uma campanha digital

20 de março de 2019 | 4 min. de leitura

1) Aonde quer chegar?
Parece uma resposta simples, mas alinhar dentro de sua organização o objetivo real de uma campanha pode ser mais complicado do que parece e as variáveis são muitas. Por exemplo, uma campanha com foco em geração de cadastros tem características de implantação muito diferentes de uma campanha com foco em aquisição de doadores. Seja para o engajamento de voluntários ou para o aumento de alcance da página, o objetivo tem que estar claro e se manter ao longo da campanha. Isso facilita avaliar o resultado, pois sem ele nunca saberemos se uma campanha foi um fracasso ou um sucesso.

2) Pense na mídia!
Quando começamos a pesquisar o universo digital, nos deparamos com diversas ferramentas que prometem resultado: Facebook, Google, LinkedIn, Instagram, Twitter, displays, e-mails marketing, etc. E pode ser que elas tragam! Tudo depende do quanto você conhece o perfil do doador de sua organização, de como ele se relaciona com essas mídias digitais e de como a sua organização utiliza esse canal. Nesse ponto não existem respostas prontas, o que se adequa a um caso pode não se adequar a outro.

3) Seus criativos são seus coringas!
É comum as organizações investirem em mídia e esquecerem que sem um bom anúncio nada acontece. Mídias sociais são, na sua essência, mecanismos de interação visual. Por isso, uma imagem chamativa, com elementos e boas práticas globais de engajamento e mobilização de indivíduos, pode definir o sucesso ou fracasso de sua campanha digital. Antes de colocar uma campanha no ar, dar um passo atrás e criar bons anúncios pode fazer muita diferença.

4) Saiba com quem está falando!
As ferramentas de mídias sociais permitem uma infinidade de possibilidades de segmentação. Uma segmentação muito ampla pode trazer custos de impressão desnecessários, porém, uma segmentação muito específica pode causar perda de oportunidades. Essa é justamente uma das vantagens de usarmos uma estratégia digital. Pense bem em como usar as variáveis! Portanto, atente-se às variáveis comportamentais que essas mídias oferecem, tanto em termo de resposta quanto de afinidade para alinhá-las ao perfil do seu doador.

5) Tudo é sobre pensar a jornada!
O possível doador está navegando e o seu anúncio aparece! E agora? O anúncio é chamativo o suficiente? Está criando as expectativas certas? O que vai acontecer quando ele clicar em seu anúncio? Para onde ele vai? As demais etapas do processo concluem o que você iniciou com o anúncio? Uma expectativa atendida pode impulsionar os seus resultados.

6) Aproveite as chances!
Nenhum mecanismo de aquisição de doadores responde tão bem a assuntos do momento como o digital. Quanto mais usar temas que estão em destaque, mais verá o seu volume aumentar e o seu custo de aquisição cair. Nessa regra, vale ficar de olho em todos os canais de comunicação, pois o assunto do momento pode ajudar muito a impulsionar o resultado. A vantagem que o digital nos traz é a agilidade, já que raramente os mesmos assuntos ficam por muito tempo em alta. Sendo assim, quanto antes você anunciar mais resultado você alcançará.

7) Tenha sistemas de mensuração instalados!
O que tornou o digital tão forte e essencial ao longo dos anos foi a grande capacidade de testar, analisar informações e conhecer melhor o público de forma mais rápida e barata. Essa parte mais técnica pode ser um pouco complicada, mas é necessária. Por isso, antes de começar, identifique quais as informações você quer mensurar e certifique-se de ter um Analytics bem estruturado e todas as tags e pixels instalados. Assim, você poderá tomar decisões mais acertadas de investimento e retorno.

8) Conhecimento é poder!
Esse termo pode parecer clichê! A dinâmica de pensar uma campanha demanda um bom conhecimento. Dessa forma, é muito importante entender que para cada mídia que usar, uma ou mais novas ferramentas serão necessárias. Facebook e Google, por exemplo, têm uma infinidade de cursos on-line gratuitos dos mais variados temas para te ajudar. Estar antenado é a chave do sucesso para sua campanha.

9) Explore!
O excesso de possibilidades pode assustar, mas na verdade é o que tem de melhor no digital. O remarketing, por exemplo, traz uma segunda chance de engajar um possível doador com sua causa e ainda fortalece a imagem da sua organização de forma institucional. Sabemos que tradicionalmente para que uma pessoa se torne um doador precisa de três a cinco exposições aos anúncios e campanhas. Portanto, repetição e frequência são importantes para sua estratégia. Além disso, a integração com outros canais pode aumentar ainda mais o resultado de sua campanha.

10) Renove-se sempre!
A velocidade em que ocorrem as mudanças no digital é grande. Uma estratégia que funciona hoje não necessariamente funcionará sempre. Por isso, sempre pense sua operação com foco no futuro para se manter no jogo por mais tempo. É essencial estar sempre atento ao que o mercado está fazendo e buscar novidades.